Aves e árvores urbanas

Print
Hits: 1120

Avaliação da influência da arborização urbana na biodiversidade de aves com auxílio de jovens cidadãos cientistas

                             A ciência cidadã tem como um dos principais objetivos envolver cidadãos na coleta de dados em pesquisas científicas. De forma voluntária, os não cientistas podem contribuir em muitos trabalhos que exigem grande quantidade de dados coletados.

                   Através dessa abordagem, além de contribuir para pesquisas científicas, os cientistas cidadãos podem aprender como a ciência funciona. Este projeto propõe avaliar a influência da arborização urbana na biodiversidade de aves, utilizando para isso, dados coletados por crianças, as quais assumirão o papel de cientistas cidadãs. Um protocolo foi elaborado a fim de levantar o índice de arborização do entorno das escolas parceiras e, através da instalação de alimentadores nas escolas como atrativos de aves para uma melhor visualização das mesmas, os cientistas cidadãos realizarão observações periódicas sobre a quantidade e tipos diferentes de aves avistadas. A cada observação, preencherão um formulário de coleta de dados, o qual será utilizado ao final da atividade para compilação e discussão dos dados em sala de aula. Os cientistas cidadãos deverão fotografas as aves avistadas e enviar as fotos para a pesquisadora responsável do projeto. Para a análise de acurácia dos dados coletados pelos cientistas cidadãos, serão realizadas análises de correlação com dados que serão reanalisados pela pesquisadora responsável pelo projeto, a qual servirá de controle. Os resultados obtidos serão disponibilizados para as escolas participantes para que os estudantes e professores possam visualizá-los e discuti-los para agregação de conhecimentos. Para avaliação da proposta, serão aplicados questionários pré e pós-atividade, contendo questões sobre ciência cidadã e aves. As perguntas fechadas serão analisadas por quantificação e as abertas, por análise textual discursiva. Até o presente momento, foi realizado o teste do protocolo em uma escola estadual do município de Santo André (SP). Inicialmente, os alunos responderam ao questionário prévio em sala de aula; após isso, foram entregues os kits contendo sementes e o kit contendo o bebedouro para os alunos, os quais foram divididos em grupos. A observação das visitas das aves aos comedouros foi realizada em casa devido à limitações de realização do projeto na escola (objetivo inicial) e as anotações foram entregues ao final de uma semana. Uma aula expositiva sobre aves foi aplicada com intuito de mostrar aos alunos as características mais importantes das aves.

                      Após este prazo, os alunos responderam um questionário pós-atividade para a verificação do nível de aprendizagem e aproveitamento da atividade. Os dados coletados foram lançados em uma planilha para análise. Com a análise dos questionários, foi possível verificar que os alunos já conheciam bastantes características das aves e de seu modo de vida, mas que novos conhecimentos foram adquiridos com a realização da atividade. Pelo fato de mais de 90% dos alunos demonstrarem no questionário pós-atividade que gostariam de aprender mais sobre o assunto, consideramos que além do projeto ter atingido seu objetivo inicial de contribuir para a alfabetização científica das crianças que participaram, ele também motivou as crianças a quererem aprender.                           

                      A validação dos dados ainda não foi possível, pois os alunos não enviaram fotos, conforme previsto no protocolo.

 

Faça download dos materiais de apoio do projeto clicando aqui.



Pesquisadora responsável:

 

Amanda Porto do Nascimento

Graduanda do Bacharelado em Ciências Biológicas

Bolsista de Iniciação Científica PIC/UFABC